Gp Montreal

Eu no sábado escrevi um post sobre o dia aqui no blog, mas quando estava mesmo a terminar fiquei sem bateria e escrever outra vez o mesmo pareceu-me demasiado cansativo para o fazer.

Antes de mais a decklist com que joguei:

60 cards Sideboard
4 Terramorphic Expanse
2 Forest
3 Llanowar Reborn
1 Mountain
4 Grove of the Burnwillows
3 Plains
4 Flagstones of Trokair
2 Horizon Canopy

23 land

4 Thornweald Archer
4 Kavu Predator
4 Tarmogoyf
4 Mystic Enforcer

16 creatures
4 Chromatic Star
4 Might of Old Krosa
4 Edge of Autumn
3 Temporal Isolation
2 Fiery Justice
4 Griffin Guide

21 other spells
3 Stonecloaker
2 Fatal Frenzy
2 Fiery Justice
3 Greater Gargadon
1 Temporal Isolation
4 Whirling Dervish

15 sideboard cards

Eu sei que isto para a mentalidade tuga vai parecer algo estranho, mas o WG threshold que apareceu do nada no mtgo/magic league foi originalmente inventado por mim. Houve uma leak no meu grupo de playtesting/ideias por parte do Paulo Victor Damo da Rosa e algumas versões expalharam-se bastante depressa. O lado positivo disto, é que quando fazemos um deck, sabemos bem quais são os pontos fracos dele, pelo que o meu build final para este Gp está particularmente preparado para ganhar os mirrors de threshold.

No sábado fiz 4-2 com 3 byes, já não me lembro muito bem das rondas, mas as rondas que perdi não foi por os outros decks terem saído bem, foi pelo meu ter saído mal, comprar terrenos a mais ou a menos.

No Domingo perdi a 1ª ronda do dia e ganhei as cinco seguintes, o que é dificil, já que quando se perde a chance de fazer top8, a motivação para continuar a jogar diminui substancialmente, pelo que é necessário sangue frio para lutar pelas rondas.

Acho que o meu deck foi uma boa opção para o Gp e o resultado foi bastante bom. Para mim é estranho estar a escrever isto, porque até há bem pouco tempo atrás, tudo o que era menos que top8 era uma derrota, porém agora com a faculdade tem sido tão dificil acumular os pro tour points para chegar ao nível 3 ou manter o meu nível 4. Fiquei bastante satisfeito com sentir que foi util ter cá vindo e que ainda consigo ganhar umas rondas no meu jogo favorito.

No final do Domingo ainda joguei 2 drafts de 2hg com o Paulo Carvalho, sendo que ganhámos o primeiro e splitámos as raras através da batalha, mas ele tem uma sorte terrível, ficou com a damnation o tarmagoyf e o Urborg (devo-me estar a esquecer de alguma lol). O formato agora com future sight pareceu-me muito interessante mesmo, mas algo complexo, pelo que vou tentar draftar o máximo possível para o aprender.

Amanhã vou draftar com os japoneses no hotel dele, já que tanto o teammate do Kenji como o meu, não vieram ao GP. Na Terça sigo para San Diego para jogar o Pro Tour. Ainda não sei se vou jogar o GP San Francisco, era para não ir, mas depois de ganhar 3 pontos hoje, fiquei com vontade de voltar a correr pelos pontos, vamos ver o que as cartas querem comigo em San Diego.

André Coimbra

PS: O gémeo Fred é realmente muito chato.

22 Junho

Eu não era para ir ao GP Montreal, mas como ia jogar o Pro tour San Diego de certeza e algumas pessoas insistiram que eu devia jogar o gp, resolvi perguntar ao BDM se achava que devia ir. A resposta do BDM foi que não devia apenas ir como também era minha obrigação ir, o que me levou a uma reflexão sobre a seriedade do meu jogo favorito, que começou por ser algo divertido que jogava com os amigos, mas que agora me faz viajar até ao Canadá no meio dos exames.

Combinei com o Paulo Carvalho apanhar a camioneta para Lisboa às 6:20 am de sexta-feira, já que pára no aeroporto de Lisboa e permite-nos apanhar o avião das 10:15. A viagem correu bem e quando chegámos a Lisboa encontrámo-nos com o Frederico Costa para fazer o checkin. A senhora que nos estava a atender no checking da Us Airways, disse que era preciso ter um papel com o percurso (algo que nunca me tinham pedido antes), de modo que tive que ir à segurança da empresa e imprimir os dados, fazendo lá o check-in também, já que não tinha bagagem para o porão. Esta minha decisão de levar apenas bagagem de mão é fruto de algumas experiencias menos positivas que tive ao longo das minhas viagens para torneios internacionais de magic, em que a mala só chegou alguns dias depois.

A viagem de avião até Filadelfia correu bastante bem, sendo que dormi na maior parte, mas aproveitei o resto do tempo para ver o filme que estavam a passar no avião: "Wild Hogs" e começar a estudar para a cadeira de Inteligencia Artificial. O filme achei engraçado, mas nada de especial. Nos ultimos torneios em que tenho ido de avião as viagens têm sido terríveis para mim, terminando normalmente doente após a viagem, isto devido a alergias respiratórias que tenho. Felizmente agora estou correctamente medicado, podendo voltar a viajar de avião sem me sentir mal (devido aos ares condicionados), o que se verificou nesta viagem.

A viagem de Filadelfia para Montreal já foi mais curta, cerca de 2 horas. Nesta dormi mais um pouco e continuei a estudar. O Frederico passou a viagem toda a conversar com uma jovem Canadiana, de formas bastante atraentes, mas infelizmente para ele (e quem sabe para nós...) ela já não morava em Montreal, pelo que depois da viagem ocorreu a inevitável despedida.

Chegando ao aeroporto, o Paulo Carvalho e o Frederico Costa não encontraram as suas malas, informando-se que depois teriam de telefonar para saber delas... Quando vamos a sair para a parte das chegadas, mandam parar o Paulo Carvalho e levam-no para uma sala. Uns bons 30 minutos depois o Paulo Carvalho junta-se a nós e conta que tiveram práticamente a interrogá-lo lá dentro, a dizer que era uma selecção aleatória e que ele tinha sido escolhido de forma aleatória.



Apanhamos um taxi até ao site, onde encontramos os brasileiros e os outros portugueses, fazemos o registo no gp e seguimos para o hotel. O Ricardo Cardoso veio comnosco e no hotel, reservámos um quarto até segunda-feira. Fomos comer a um restaurante chinês dentro do hotel, onde a cozinha fecharia 15 minutos depois de chegarmos, pelo que tivemos que nos despachar a fazer o pedido. A comida estava optima e ficámos todos satisfeitos. O quarto do hotel é enorme, pelo que temos 2 camas MUITO GRANDES, uma mesa com duas cadeiras onde se pode jogar magic e ainda uma secretária para escrever, enfim... tudo o que um jogador de magic precisa (a nível de objectos).

Está o Paulo Carvalho a testar contra o Ricardo Cardoso e o Frederico Costa a escrever a decklist dele, enquanto eu estou a terminar este post no blog.

Espero que não tenha sido muito aborrecido o post, deixem comentários no artigo do magicportugal.

André Coimbra

Uma sexta-feira

Começar é sempre o mais dificil e este primeiro post do blog não foi excepção.
Tenho andado a pensar em formas de preencher este espaço, mas é sempre complicado chegar a algo diferente e original, pelo que vou simplesmente começar por contar como foi a minha sexta-feira 08/06/2007.

Como decidi que só ia começar a estudar para os exames na próxima segunda-feira e já não tenho aulas, comecei o dia a jogar um torneio de poker, que começou às 23 horas de quinta feira no servidor da pokerstars, era $5+$0.5 de buy in, com rebuys e add-ons. Começou com
1879 jogadores e terminei em 307 com um prémio de $33,16, mas achei que tive bastante azar na parte final, de modo que me fui deitar não muito feliz.

Como não conseguia dormir a pensar que estava a jogar um bom nível de poker e com curiosidade para saber qual iria ser a primeira poll do invitational a sair e se estaria nela, já que até me tenho dedicado bastante ao magic nos ultimos tempos, decidi jogar o torneio das 3 am, também na pokerstars, sendo este $10+$1 com rebuys e addons também. Desta vez começou apenas com
1522 jogadores e terminei em 13º, ganhando $336.75. Foi bom, mas faltou aquela pontinha de sorte na parte final.

A meio do torneio o meu amigo Willy Edel, abriu uma conversa no msn e disse "Coimbra, você chama a policia", que é como quem diz em português de Portugal "Foste roubado". Lá fui ver a poll do invitational e era "Road Warrior", que era aquela onde tinha mais esperança de aparecer, já que tinha sendo duas vezes mencionado pelo Ted Knutson no coverage do site oficial de magic como road warrior, mas claro que não foi ele a decidir quem faz parte da poll. Fico triste pelas decisões da wizards neste aspecto, mas entendo que é apenas uma jogada de marketing para promover os jogadores que mais expectativa financeira lhes dão em termos de promoção e não apenas quem merece. Não vou dizer quem acho que não merece lá estar, porque mesmo que provavelmente não saibam português ou nunca irão ler este blog eu não gosto de falar mal de ninguém nos meus artigos e também não o vou fazer no meu blog a menos que haja necessidade e neste caso ninguém ganha com isso. Por outro lado fico contente de ver o Tiago Chan na poll, já que acho importante para a comunidade portuguesa termos lá alguém e mal o vi no msn ofereci-lhe um espaço no magicportugal.net para explicar aos portugueses porque devem votar nele (para além do motivo obvio de ser português claro.).

Depois do torneio, fui dormir e quando acordei ao final da tarde fui ver o "Ocean's Thirteen", embora tenha ido com algum receio que fosse tão mau como o segundo, mas felizmente o filme surpreendeu-me pela positiva, estando talvez ao nível do primeiro que adorei, sendo que recomendo a todos os leitores do meu humilde blog.

Estou a escrever este post às 22:30, sendo que me penso deitar a seguir e se não tiver sono jogo mais um torneio de rebuys ou vou começar a testar bloco para o gp montreal. Este blog provavelmente só interessará aos mais curiosos, já que vou aqui postar fundamentalmente sobre a minha vida e poco ou nada de estratégia de magic, sendo que para isso reservo os meus artigos, tanto no magicportugal.net, como no magic.tcgplayer.com. Sempre que tiver internet numa das minhas viagens a torneios de magic, contém com um post no blog a contar como correram as coisas, que vi, que aconteceu e eventualmente umas fotos.

Espero que tenham gostado,
André Coimbra