Equilíbrio na juventude (Opinião)

terça-feira, agosto 28, 2012

Como este ano está a ser um ponto de inflexão na minha vida, tenho passado algum tempo a pensar no que fiz até agora, no quero fazer, quem fui, quem sou e em quem me quero tornar, etc etc etc

Este post é direccionado para os jovens, com quem vou partilhar a minha opinião sobre alguns temas que lhes possam ser úteis. No entanto, os "mais experientes" também são convidados a ler e partilhar comentários com as suas experiências!

Tenho pensado no conceito de vida equilibrada e penso que varia consoante as idades...

Numa criança, consiste em estudar/aprender, brincar e comer bem.

Para um adolescente estudar, namorar, praticar desporto.

Depois a maior parte dos pais com algum esforço manda os filhos para o ensino superior e aí acho que uma vida equilibrada passa por estudar, namorar e sair bastante.

Mais tarde na vida adulta laboral, é ter um emprego estável, casar/namorar, ter filhos, etc. Algumas coisas chave aqui variam em função dos sexos, pelo que não vou aprofundar muito.

Devo-me ter esquecido de algo que é importante para muita gente, mas foi o que me lembrei assim de repente.

Quando se fala em sucesso, acho que há duas variantes.

O sucesso-próprio, que passa por aquilo que nós realmente queremos e se o conseguimos alcançar ou não. Por exemplo, sei que para muita gente, o maior investimento que fazem é na sua família e ao verem a família a crescer alcançam sucesso-próprio.

O sucesso-relativo, é algo que já passa por aquilo que a sociedade pensa e embora possa muitas vezes consistente com o sucesso-próprio, pode não o ser. Aqui podemos falar do sucesso que a pessoa tem no trabalho, desporto, etc

Desculpem a introdução ser tão grande. Passemos ao que interessa...

Eu acho que para alguém ter um grande sucesso-relativo, isto é, ser um dos melhores em algo, essa pessoa tem que ter durante um determinado período de tempo uma vida desequilibrada segundo os padrões da sociedade.

É um pouco aquilo que se fala quando se diz "fazer sacrifícios para alcançar algo".



No entanto, não se faça confusão com uma pessoa desequilibrada, a menos que a pessoa o faça a vida toda.

Por exemplo ,no caso dos atletas de topo que muitos dos leitores têm como ídolos, normalmente jogam durante uma ou duas décadas, mas depois podem compensar os desequilíbrios necessários para alcançar o sucesso. Especialmente com o poder/liberdade financeira que usufruem!

Os adultos costumam dizer "aproveita agora, que vão ser os melhores anos da tua vida".

Na minha opinião, eu acho que vale muito a pena investir em sermos o melhor possíveis naquilo que queremos logo no inicio da carreira.

Primeiro, porque estamos numa altura em que como os sistemas automáticos  são cada vez mais eficientes, acaba por haver menos empregos. Sendo assim, só quem é considerado melhor é que acaba por arranjar emprego.



Segundo, nos empregos mais modernos, os melhores levam uma fatia do bolo muito muito maior do que os empregados medianos.



Terceiro, o investimento que fazemos a nível de trabalho no inicio da carreira, tem um efeito geométrico daí para a frente. Por exemplo, no caso das profissões que dá para subir na carreira, quanto mais cedo subirem, mais dinheiro ganham para o resto da vida e mais depressa podem subir para o nível a cima. No caso das profissões que dependem da fama como os cantores/actores etc, quanto mais cedo tiverem x fãs, mais cedo vão ter 1000x fãs e ganhar mais com isso.



Em relação ao sucesso-relativo, depende muito do que quiserem, mas o que recomendo é não meterem os vossos sonhos nas lotarias/euro-milhões etc. Isto, porque as probabilidades estão contra vocês de uma forma brutal e ao pensarem "Se me saísse o euro-milhões fazia..." não estão a pensar em como concretizar os vossos sonhos sem depender da sorte e acabam por não converter sonhos em projectos de vida.

Por favor deixem um comentário com a vossa opinião e a dizer se gostaram ou não do post. Se houver mais comentários negativos, eu deixo de escrever este tipo de posts e se houver mais positivos  eu continuo.

Os leitores é que mandam! :)

Também pode gostar de

18 comentários

  1. Não era suposto nos dias que correm a juventude ter mais conhecimento do mercado de trabalho,do que querem,e do que os espera com toda a informação que lhes é transmitida por familia e por meios de comunicação,principalmente internet? O que eu vejo é maior parte do pessoal da minha idade dizerem "F*ck this,F that," colocarem toda a culpa no governo e colocarem toda a culpa nos centros de emprego,irem para as manifs indignados etc etc. Mas a verdade é que vejo maior parte deles sem um plano,ou com objectivos,vejo-os a terem 5 euros para gastar dados pelos pais ou rendimento social e não sairem dos cafés.. por pensarem que não vale a pena procurar trabalho,porque dizem eles:não há. A crise é a culpa,mas os outros 50% a culpa é nossa que não lutamos contra ela. Eu vejo o pessoal hoje em dia muito diferente do pessoal da mesma idade quando eu era mais novo. Via-os a serem mais empreendedores,arriscarem mais em negoçios,e a fazerem pela vida muito mais cedo..comparado ao pessoal de hoje que maior parte deles querem é um emprego mar de rosas já prontinho á espera deles e receber os eurinhos certinhos ao fim do mês. Todos querem ter emprego,mas ninguem o quer tentar criar e ter novas ideias de como o fazer,e nós jovens é que temos de tentar e empenharmo-nos nesse sentido,pois não são os nossos pais que o irão fazer para nós.

    1 Abraço
    João Franco

    ResponderEliminar
  2. Abordas o tema de forma ligeira mas em geral dizes coisas com as quais concordo , em relaçao ao ser o melhor no inicio creio q depende de varios factores , existem pessoas q amadurecem + cedo e sabem o que querem etc outros apenas depois de anos de erros finalmente se dao conta que esta na "hora" de se aplicarem a serio ou n vao a lado nenhum , naturalmente quem começa cedo e sabe o q quer e esta disposto a sacrificar se leva vantagem e apesar de a corrida ainda estar longe de tar terminada e poderem ser ultrapassados as probabilidades jogam a favor deles portanto sem duvida e melhor começar cedo . Em relaçao a situaçao do país isso dava um post longo
    nao creio ser justo generalizar , ha 10 anos muitas empresas com estruturas amadoras davam lucros razoaveis e hoje elas tao na falencia pq n se adaptaram e n se modernizaram , o estado e o parasita q sabemos e enquanto n houver monitorizaçao e responsabilizaçao o preço a pagar sera altissimo , os jovens têm potencial mas nao podem pagar pelos erros cometidos e francamente deparam se com 1 mercado nacional de valor reduzido algo q n se passava ha 10-15 anos.




    ps Tens algum mail de contacto ?

    ResponderEliminar
  3. EXCELENTE POST!!! MTS PARABENS!!
    Retracta de uma forma perfeita a sociedade e o que os vários escaloes etários pensam e fazem da vida.
    Mt bom!

    ResponderEliminar
  4. Andre Coimbra, adorei este post. Para mim foi uma forma de inspiração, fez-me pensar no quero mesmo e dar-me vontade para lutar ate ao fim. Obrigado!


    Gostava de poder falar contigo por mensagens ou pelo msn. Precisava de te pedir alguns conselhos e tirar umas duvidas acerca do poker.


    Abraço, João Pedro

    ResponderEliminar
  5. André Brito Coimbra29 de agosto de 2012 às 21:53

    Fico contente que tenhas gostado e te tenha inspirado :)
    Podes-me enviar uma mensagem pelo facebook.

    Abraço

    ResponderEliminar
  6. André Brito Coimbra29 de agosto de 2012 às 22:06

    Obrigado pelo comentário :)
    Podes-me contactar através do facebook!

    ResponderEliminar
  7. André Brito Coimbra29 de agosto de 2012 às 22:07

    Obrigado pelo comentário :)

    Abraço

    ResponderEliminar
  8. isso é muito bonito bastante teorico e até um discurso inteligente mas esqueceste-te do factor sorte que quer queiramos quer não influencia a vida da pessoa muito mais do que as pessoas geralmente admitem.
    No teu caso em concreto cruzaste-te com o poker (foi uma sorte) e tens sido um caso de sucesso.
    Quando pensas que os melhores empregados são os mais bem pagos estas bastante enganado porque senão repara, chegas a um trabalho és melhor que o chefe, o chefe sabe disso mas vai te desvalorizar para não lhe tirares o lugar, o patrão já tem uma relação especial com o chefe por isso é que o colocou a chefiar.
    O empregado que é muito bom não sai da mediocridade porque tem renda para pagar e filhos para criar e as coisas não estão faceis para se correr riscos.
    Podia escrever paginas e paginas sobre isto mas também sei que depende do ego e da sensabilidade de cada um.
    O euromilhões é a compra de um sonho e as pessoas precisam de sonhar há muitos inteligentes que jogam e eu não acho nada criticavel.

    ResponderEliminar
  9. André Brito Coimbra30 de agosto de 2012 às 11:42

    Estás a falar de uma situação muito diferente da que eu falei no post.
    Eu estava a falar sobre jovens em inicio de carreira, tu estás a falar sobre já ter filhos, vida estável, etc.

    Eu concordo contigo que é muito mais difícil tomar riscos quando se tem pessoas dependentes de nós e muito provavelmente insensato na maior parte das vezes e é mais uma razão para arriscar mais/trabalhar mais na carreira quando se é jovem.

    Em relação à parte do euro-milhões eu discordo completamente. Tu não estás a comprar um sonho, estás é a vender os teus baratos.

    A probabilidade de ganhar €4k que não vai tornar ninguém excêntrico, é de 1 em 500,000, o que quer dizer que ninguém pode esperar um prémio superior a €4k a jogar a 1x/semana a vida toda. Para os prémios a cima piora exponencialmente!

    Vê aqui:
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Euromilh%C3%B5es


    Normalmente quem joga no euro-milhões é quem é menos empreendedor e não se importa de deixar os seus sonhos abandonados à sorte. As pessoas que conheço que NÃO jogam, normalmente ou têm negócios criados por elas do zero onde trabalham muito e é aí que lutam pelos seu sonhos, ou estão a começar a criá-los em part-time porque não podem arriscar muito.

    Resumindo

    Aproach #1 (Euromilhoes): deixas os teus sonhos abandonados à sorte.

    Aproach #2 (empreendedorismo): Lutas pelos teus sonhos e só dependem de ti.

    Isto é a minha opinião e é baseada nas pessoas com quem falo e no que as vejo a fazer/realizar.

    ResponderEliminar
  10. Eu acho engraçada esta perseguição ao Euromilhões, eu não jogo, mas se hoje decidi-se beber menos 2 cervejas à sexta à noite com os meus amigos (situação hipotetica para algo que goste de fazer e que tenha um impacto no meu orçamento) para apostar no euromilhões não acredito que seja algo altamente reprovavel. Tendo isto em conta não encaro isto como uma perseguição de um sonho mas sim uma brincadeira que pode ter um retorno e, caso não tenha, também não vou deixar de trabalhar para a realização pessoal através do tal empreendorismo.


    Aparte disto, bom post.


    Abraço

    ResponderEliminar
  11. André Brito Coimbra30 de agosto de 2012 às 19:42

    Não se trata de uma perseguição. É apenas a minha opinião.

    Na situação que descreveste não me parece mal apostares, tendo em conta que não encaras isso como uma perseguição de um sonho como disseste.

    O problema a meu ver é quando começas a ouvir constantemente o discurso "Se eu ganhasse o euro-milhões fazia [SONHO]" ou "Quando ganhar o euro-milhões faço [SONHO].

    É que se reparares quem diz isto, não toma a iniciativa para realizar os seus sonhos de vida. Se não acreditares em mim, começa a reparar quando alguém o diz e pensa o que é que a pessoa está a fazer no sentido de realizar essa tal sonho.

    Abraço

    ResponderEliminar
  12. Pois, mas muitas vezes os referidos sonhos podem ser algo como: se eu ganhasse o Euro-milhões comprava um conjunto de coisas caras e supérfluas, as quais nunca ia comprar caso tivesse ganho um jackpot porreiro. É perfeitamente normal trabalhar a vida inteira, tomar decisões correctas mas nunca chegar a ser milionário e nem toda a gente tem o perfil para criar o seu próprio negócio, uma questão esquecida no meio disto tudo.

    ResponderEliminar
  13. Olá André gostei muito do teu post, aliás gosto imenso destes posts virados mais para o teu lado filosófico, tens muito jeito para escrevers o que pensas, acredito que tenhas sido ou sejas um bom professor (de poker).
    No meu caso em particular tenho um trabalho a tempo inteiro como programador na informática desde 1999. Sou casado desde 2006 e tenho um filhote que nasceu em 2007 e conheci o mundo do poker em 2009.

    Estamos em 2012 e comecei a levar o poker mais a sério em 2010 e este ano tenho aprendido muito no campo do poker, (só este ano é que comprei o Holdem Manager por exemplo). O meu tempo desde 2009 para o poker é reduzido e como tal a minha evolução tem sofrido alguns tropeções e tenho mudado de tipo de jogo com alguma frequência (ora sits de 9, ora sits de 18, ora cash games, etc.)

    Em Novembro de 2011 decidi colocar alguma consistencia no meu tipo de jogo e então "grindei" cash games (NL2 e NL5) e desde essa altura até hoje joguei 248996 mãos com uma win rate de 5,59.

    Isto prova que se dedicarmos e trabalharmos num projecto pessoal que seja +EV (como é o caso do poker), colhemos as devidas recompensas. Entretanto no mês passado decidi investir o meu tempo nos sits de 45 jogadores, vou tentar me dedicar ao máximo até ao final do ano e logo vejo se continuo ou não (comecei pelos 0,50c por estar a afinar a estratégia).

    Bom, peço desculpa por ser um comentário tão longo, (se falassemos seria mais rápido ;), mas isto tudo para chegar à mesma linha de raciocinio que tiveste no post, com dedicação, sacrificio e trabalho e algum desequilibrio (saudavel) podemos recolher boas recompensas pessoais e financeiras no longo prazo. A dedicação e o trabalho que podemos colocar no poker, faz com que possamos começar nos niveis baixos (microstakes) para podermos ascender a niveis elevados (o tal efeito geométrico que escreveste).

    Ja agora, todas as pessoas que conheço que jogam o euromilhões com regularidade e afinco, nenhuma delas joga poker online com regularidade e dedicação.

    Posso colocar um link no facebook para este teu post?
    Obrigado.

    Abraço!
    Luis (lmagalhaes).

    ResponderEliminar
  14. Obrigado pelo comentário Luis e desejo-te felicidades na vida profissional, familiar e poker :)

    Em relação ao link, podes sempre partilhar os links dos meus posts, eu até agradeço!

    ResponderEliminar
  15. No poker, principalmente nos mtts é preciso que bata aquele grande também para se subir na carreira. Nem é assim tão diferente do euro-milhões. Nos cash games também é preciso sorte quando vamos dar o tirito... de não perdermos logo 15bi e termos que vir abaixo outra vez. Em tudo na vida existe a sorte, no euromilhoes é mais visivel, dá para quantificar, noutras coisas não dá.

    ResponderEliminar
  16. Obrigado e igualmente André. Vou agora mesmo partilhar no "livro das caras" ;)

    ResponderEliminar
  17. Concordo que é difícil quantificar a sorte em imensas coisas na vida. No entanto comparar o Poker com o euro-milhões acho que é um exagero, porque no euro-milhões para ganhar o 3º prémio a probabilidade é algo do género 1/3 milhões, no caso do 1º prémio nem vale a pena falar... No caso de um torneio de Poker,digamos o Sunday Million, duvido que algum jogador agressivo por pior que seja tenha menos de 1/10K.
    É uma diferença colossal na ordem de grandeza e no Poker podes ir melhorando e ao mesmo tempo aumentar as tuas probabilidades nas lotarias não.

    Jogo de skill :)

    ResponderEliminar