Tabela Open Shove


Vão haver situações onde é mais rentável ir all-in direto do que fazer um raise mais pequenos!

Isto acontece por algumas razões quando vamos all-in:

·         Garantimos a equity da nossa mão.
·         Eliminamos o valor da posição pós-flop.
·         Metemos pressão máxima no adversário

Para facilitar as decisões de open shove criei uma tabela que aproxima o equilibrium de Push/Fold para stacks mais pequenas.



Na parte de cima temos o M que representa o número de orbitas que temos para fazer fold até sermos obrigados a ir all-in.

M = Stack / (Big Blind + Small Blind + Antes)

A vantagem de usar o M para este tipo de cálculos comparativamente com o número de Blinds é que tem em conta o efeito das Antes. Isto é importante porque ao estarmos a jogar com Antes vamos ter um maior incentivo para jogar mãos porque vamos ter melhores Odds.

Se não tivermos antes, vamos poder usar esta tabela à mesma, calculando o M apenas dividindo o número de Big Blinds que temos pela soma da Big Blind e da Small Blind.

Na parte de baixo da tabela tenho uma aproximação dos melhores ranges de Open Shove.

Ex.:

1.      Blinds 50-100, Ante=10.
2.      A9 jogadores.
3.      Estamos na Small Blind com A2o.
4.      Temos 1700 fichas.

Neste caso o M é aproximadamente 7 (1700/(100+50+9*10))
Então vamos na tabela ver M=7 e Posição=SB, onde encontramos 57%.
Arredondamos para baixo e vemos que no Top60% tem A2+.
Ficamos então a saber que é rentável fazer Open Shove de A2o da Small Blind na situação atual!

É importante entender que a tabela não é perfeita, não tem em conta ICM, não tem em conta os adversários com que estamos a jogar e que como tal não a devemos seguir à risca. É apenas uma aproximação que nos ajuda a resolver um problema complicado enquanto jogamos.

Enquanto jogava MTTs, eu usava esta tabela para me guiar nas situações onde achava desconfortável fazer um raise normal ou estava indeciso entre ir all-in e fazer fold.

No exemplo em cima onde temos 17 Big Blinds e estamos na Small Blind com A2o, temos uma situação bastante desconfortável para fazer raise, porque estamos fora de posição e a nossa mão vai ser bastante difícil de se jogar pós-flop caso o adversário jogue em Call, pelo que ir all-in é na minha opinião a solução mais rentável contra a maior parte dos jogadores.

No entanto, se tivermos uma mão como KQo que vai ser relativamente fácil de se jogar pós flop e é forte o suficiente para fazer um raise e dar call a um all-in, tem mais sentido ignorar a tabela e fazer um raise com a intenção de pagar um all-in do adversário.

Já em situações onde o ICM é relevante, provavelmente vamos querer ir all-in bastante mais wide do que a tabela diz quando podemos meter pressão no adversário e bastante menos wide quando não podemos arriscar muito.